Perfil do comprador de imóveis

O sonho da casa própria ficou mais fácil com as medidas adotadas pelo Governo Federal e pela Caixa Econômica Federal. A Caixa, em abril passado, anunciou mais R$ 43 bilhões para estimular o financiamento da casa própria e autorizou uma carência de seis meses para a pessoa física que assinar um novo contrato. Associações consideraram as medidas positivas, pois preservam-se empregos e mantém-se o mercado ativo.


Mas qual seria o perfil do comprador de imóveis atualmente no Brasil ?



Primeiro, como lei básica de qualquer produto que esteja na prateleira esperando um consumidor, é importante o corretor de imóveis conhecer, entender as necessidades e ter como meta a realização do sonho do seu cliente, que é adquirir seu próprio imóvel. Conhecer os imóveis de determinada região e a preferência do seu cliente, contribui para enquadramento do perfil do comprador, e ainda, saber o valor que este comprador pretende investir e suas preferências, são alguns tópicos que devem ser levados em consideração.


Um atendimento exclusivo e que corresponda às expectativas do seu cliente, deve ser personalizado, assim, as chances de sair um bom negócio aumentam bastante. Separando alguns imóveis e estudando o perfil do seu cliente, o corretor será mais assertivo nas suas negociações e deixará o cliente satisfeito.


Desde 2010, o brasileiro vivenciou grandes mudanças positivas em sua economia. Com isso, os brasileiros passaram a comprar imóveis mais cedo, cada vez mais novos. Essa informação nos leva a entender um importante aspecto desse perfil: a idade média do comprador de imóvel. Visto que os consumidores realizam compras mais cedo, atualmente, o comprador médio de imóveis tem aproximadamente 30 anos — um dado bastante diferente em relação aos anos anteriores, quando a faixa média de idade estava em torno dos 40 anos. Além disso, antes, o comprador médio era pertencente à classe média alta. Desde 2010, o brasileiro vivenciou grandes mudanças positivas em sua economia. Com isso, os brasileiros passaram a comprar imóveis mais cedo, cada vez mais novos. Essa informação nos leva a entender um importante aspecto desse perfil: a idade média do comprador de imóvel. Visto que os consumidores realizam compras mais cedo, atualmente, o comprador médio de imóveis tem aproximadamente 30 anos — um dado bastante diferente em relação aos anos anteriores, quando a faixa média de idade estava em torno dos 40 anos. Além disso, antes, o comprador médio era pertencente à classe média alta.


Pesquisas recentes ligadas ao ramo imobiliário, traçam de forma ainda mais assertiva o perfil do comprador de imóvel. Algumas das informações mais importantes são:


Cerca de metade dos compradores é solteiro;

Mais de 40% ganham mais de 10 mil reais;

Mais de 75% dos clientes têm um alto nível de escolaridade;

Mais de 50% têm pelo menos um filho;

E a forma de pagamento mais requisitada é o financiamento.


Classe A


O Mercado Imobiliário deve voltar às atenções para classes A e B. Instabilidade econômica, incertezas sobre o amanhã e a falta de confiança estão entre os principais fatores que afetam o setor e fazem retrair o consumo das famílias. Porém, mesmo diante do cenário, já é possível notar algumas mudanças interessantes que podem ser vistas até como uma recuperação do ramo. Atualmente, os consumidores das classes A e B são os principais responsáveis por esse crescimento. Eles sentem a crise, mas de uma forma diferente. Não querem abrir mão do conforto e da qualidade, por isso buscam oportunidades com descontos, que talvez só vão poder encontrar neste momento da economia. E as imobiliárias que apostarem nesse perfil poderão se dar bem.


Na maioria dos casos, esses compradores não estão preocupados em fazer financiamento imobiliário através da Caixa Econômica, pois geralmente possuem um bom relacionamento com os bancos privados de sua preferência, ou até mesmo possuem condições de pagar à vista ou grande parte do imóvel. Hoje, esses clientes estão em busca de um "bom desconto".


Classe B


O público pertencente à classe B está comprando menos e alugando mais. O tipo de imóvel mais procurado é um apartamento com dois quartos e que esteja localizado próximo ao metrô.


Para a classe B, falta linha de crédito, pois as pessoas pertencentes a essa classe têm mais dificuldade em comprovar sua renda, visto que muitos trabalham informalmente.


Classe C


As pessoas da classe C procuram por programas do governo, como o “Minha Casa Minha Vida”. Em geral, elas têm um valor muito baixo para dar de entrada.


Cerca de 10% acabam se tornando inadimplentes porque enfrentam dificuldades para pagar as parcelas.


Prioridades ao comprar um imóvel


Localização


No topo da lista das prioridades ao comprar um imóvel está uma boa localização. Assim, o atual perfil do comprador de imóvel não vê problema se tiver que escolher um espaço menor, desde que isso signifique uma boa localização, na qual perde menos tempo para se locomover diariamente. Isso representa um desafio para as imobiliárias que precisam oferecer produtos mais compactos, que sejam funcionais e priorizem a mobilidade.


A maioria dos compradores de imóvel acaba comprando um imóvel diferente do que procurava no início. De acordo com o perfil do comprador de imóvel, ele tem uma média de 30 anos. Por isso, a maioria acabou de sair da casa dos pais, imóvel no qual, provavelmente, havia cerca de 90 metros quadrados. Dessa forma, eles buscam por um lugar com 72 metros quadrados em média, mas acabam comprando um imóvel de 62 metros quadrados. Eles começam a busca por imóveis com espaços maiores, mas, assim que conhecem os preços, acabam dando prioridade e escolhendo imóveis com espaços mais compactos.


Características do imóvel


Em média, o comprador procura por imóveis com cerca de 70 metros quadrados e 2 quartos.


Perfil do comprador de imóvel por região:


São Paulo


Segundo uma pesquisa realizada pela área de Inteligência de Mercado da Lopes, na região metropolitana de São Paulo, o perfil do comprador de imóvel é:

76% dos compradores têm um alto grau de escolaridade;

56% são solteiros;

52% têm filhos;

Sua renda média por mês gira em torno de R$ 8 mil;

41% ganham acima de R$ 10 mil;

89% dos compradores fazem um financiamento, comprometendo 31% de sua renda;

Para 43%, a localização é o que mais afeta a decisão de compra;

A busca por um imóvel dura em média quatro meses.


Rio de Janeiro


67% são homens;

49% são solteiros;

A média de idade está em 39 anos;

A maioria dos compradores ocupa a profissão de empresário.


Curitiba


Os compradores, mais jovens, estão apostando na compra de imóveis não somente para morar, mas também como forma de investimento.

Segundo a construtora MRV, 28% dos clientes já consolidados na compra de imóveis têm menos de 30 anos e 73% são solteiros.


Florianópolis


De acordo com a Lopes Consultoria de Imóveis, os dados do perfil do comprador de imóveis em Florianópolis são:

87% são homens;

46% estão casados;

A idade dos compradores varia de 25 a 49 anos, com predominância na faixa de 36 a 39 anos.


Belo Horizonte


72% são homens;

56% solteiros;

Idade entre 25 e 49 anos, com predominância da faixa etária de 30 a 34 anos e média de 36 anos.


Como pôde-se perceber, o perfil do comprador de imóvel varia de região para região no Brasil. Porém, podemos ver uma predominância do perfil masculino nos compradores de imóveis, que procuram, entre outros fatores, independência econômica e financeira dos pais ou, ainda, realizar um investimento.


Uma dica importante para as imobiliárias é estar sempre atento às pesquisas nacionais e também às pesquisas locais. O importante é conseguir traçar o perfil do comprador de imóvel em sua região, a fim de potencializar as vendas e negócios.


Além de conhecer a fundo o perfil do comprador de imóvel, é importante saber qual tipo de atendimento ele procura.


Atendimento ideal para o perfil do comprador de imóveis atual


As imobiliárias e os corretores devem buscar se adequar à realidade atual e às exigências do perfil do comprador de imóvel atual. Para isso, confira as seguintes dicas:


- Oferecer um bom atendimento personalizado e completo;

- Ter imóveis disponíveis que atendam às medidas procuradas;

- Estar informado acerca do mercado nacional, mas, principalmente, regional.


Para conseguir melhorar os números de vendas e aluguéis de imóveis, é preciso oferecer o que o público procura. Se o perfil de sua região busca por um imóvel menor, compacto e com boa localização, por exemplo, se houver foco de realizar uma captação de apartamentos com essas características, as chances de fechar novos negócios, mais rápidos e em maior quantidade, devem aumentar consideravelmente.


Como já foi citado acima, outro ponto muito importante é manter-se informado e capacitado para atender aos clientes da melhor forma possível, sendo mais específico e completo. Como o perfil do comprador de imóvel no Brasil aponta um alto grau de escolaridade e boa condição financeira, um boa maneira de potencializar as vendas e se adequar ao perfil é trazer informações relevantes acerca do mercado imobiliário e conversar de igual para igual com esse público, de forma a passar credibilidade e autoridade no assunto. Isso faz com que o cliente adquira mais segurança na transação, tornando-se mais propenso a fechar o negócio.


E por último e não menos importante, e fazer com que a jornada do cliente seja diferenciada, rápida e segura, e existem empresas no mercado que trazem novas tecnologias para que a entrega seja diferenciada, por isso é que a empresa Vivalisto fornece as soluções Contrata Aluguel e Contrata Compra e Venda, permite que imobiliárias e corretores foquem seus esforços na atividade comercial, uma vez que cuidam de todo o resto. O conceito é simples, fechada a negociação, o responsável pela transação encaminha pelo portal ou APP as condições fechadas e dali em diante é tudo com a Vivalisto. Da validação das propostas, levantamento da documentação e análises 100% online, até a entrega das chaves. Nessa jornada, integram todos os produtos e serviços complementares como seguros, crédito imobiliário, vistorias, contratos com assinatura digital e eletrônica, interação com cartórios, realmente tudo relativo à fase contratual, para que os clientes finais tenham a melhor experiência e para que imobiliárias e suas equipes comerciais apliquem seus esforços naquilo que fazem de melhor, que é o atendimento ao cliente e a negociação.


Além de aportarem segurança, com corpo jurídico próprio e especializado em direito imobiliário, também são especialistas em processos, seguros e crédito. O uso da tecnologia ainda trás agilidade, simplicidade e o melhor, permite que as Imobiliárias reduzam seus custos operacionais e transformem custos fixos e variáveis, uma vez que recebem no sucesso da transação.


Como um grande diferencial, também apresenta o inédito Programa de Vantanges Vivalisto Esfera, que aumenta o engajamento das equipes comerciais de seus clientes, uma vez que para cada locação ou compra e venda realizada, os corretores ganham pontos Esfera que podem ser trocados por viagens, passagens, produtos e até mesmo por dinheiro.


Conclusão


Os tempos mudaram. Hoje, há mais facilidade de crédito e melhores condições de pagamento: é possível financiar um imóvel no banco com o prazo de até 35 anos, enquanto antes o prazo máximo era de 15 anos.


Além disso, os compradores estão sendo estimulados a comprar um imóvel cada vez mais cedo. O pensamento de que é preciso casar para então sair da casa dos pais mudou. O perfil do comprador de imóvel atual procura independência financeira o quanto antes.


Com esses dados em mãos, o corretor tem vantagem no momento de oferecer os imóveis para os compradores, já que ele conhece seu perfil e suas preferências.

As dicas acima ajudam as imobiliárias a potencializar suas vendas e informam sobre qual é o perfil do comprador de imóvel hoje no Brasil. Saber o que esse público procura no mercado imobiliário é fundamental para oferecer um trabalho de mais qualidade à população.


Novas tecnologias otimizam tempo, custos, privacidade nas negociações e segurança jurídica.



75 visualizações